Quem Precisa

 

O Conselho Federal de Medicina através da resolução no 1.457/95, estabeleceu que os doentes portadores das doenças abaixo listadas tem indicação para se submeterem à oxigenoterapia hiperbárica: 
Feridas de difícil cicatrização, como, por exemplo, nos pés de diabéticos, portadores de varizes e nas nádegas de pessoas acamadas por um longo período; 
 
  • Osteomielite crônicas, que são as infecções crônicas de ossos não solucionadas com o tratamento convencional (antibioticoterapia associada a cirurgias para raspagem do osso afetado), mesmo tentado diversas vezes; 
 
  • Lesões de bexiga, intestinos, ossos, cérebro e pele, causadas tardiamente por radioterapia, chamadas lesões actínicas; 
 
  • Infecções de feridas operatórias, "abertura de pontos"; 
 
  • Procedimentos de cirurgia plástica reparadora, quando se recobre uma ferida com pele ou músculos retirados de outra parte do próprio paciente, com risco de insucesso; reimplante de membros amputados;
 
  • Infecções graves com destruição de tecidos (músculos, gordura, pele, etc.), como nas gangrenas;
 
  • Esmagamentos traumáticos; 
 
  • Embolia gasosa arterial, que consiste da presença anormal de bolhas de ar na corrente sangüínea, levando à obstrução da circulação do sangue e, consequentemente, impedindo ou prejudicando a oxigenação de tecidos nobres do organismo, tais como o cérebro e o coração, com sérios desdobramentos. Pode ser observada acidentalmente na prática do mergulho e em alguns procedimentos médicos, tais como cirurgias cardíacas.
 
  • Queimaduras extensas;